Partilhar
brand plus

Iluminação LED

A iluminação representa, em média, 14% do consumo de eletricidade em sua casa, contribuindo também para o aquecimento do espaço (por exemplos os focos de halogéneo).

Como reduzir o seu consumo associado à iluminação?

Contrariamente ao senso comum, desligar pontos de luz indiscriminadamente, não é uma medida de eficiência energética na iluminação. Pelo contrário, a eficiência energética na iluminação consiste em garantir os mesmo níveis de luminosidade com equipamentos que apresentem consumos de energia mais reduzidos.

O paradigma da iluminação tem vindo a alterar-se ao longo da última década, do phase-out da iluminação incandescente à promoção da lâmpadas flourescentes compactas e, mais recentemente à massificação da iluminação LED.

A iluminação LED é, atualmente, a tecnologia mais eficiente e apresenta elevados níveis de durabilidade. Tal como os televisores, o tempo de vida destes equipamento é medido em horas de funcionamento, considerando uma utilização de 3 horas diárias, verificando-se que uma lâmpada LED (25 000h) poderá ter a duração de vida de até 22 anos. Este tipo de iluminação alia às vantagens referidas, o facto de ter um menor contributo para o aquecimento do espaço e a possibilidade de alterar (em alguns casos, através de um sistema de controlo) a temperatura da cor da iluminação.

Lâmpada incandescente

Uma lâmpada de 60W em funcionamento 3 horas por dia ao longo de todo ano, representa um custo anual de 12€.

Lâmpada LED

Para uma utilização semelhante, uma lâmpada LED de classe A+ de 8,6 W representa um custo anual de 1,2€ com um custo de 2€.

Poupança

Ao substituir a iluminação incandescente por LED poderá obter reduções anuais nos consumos de energia na ordem dos 10€ por lâmpada.

Outras dicas
  1. Sempre que possível, utilize luz natural;
  2. Opte por cores claras nas paredes e tetos. Aproveitará melhor a iluminação natural e poderá reduzir a artificial;
  3. Não deixe luzes acesas em divisões que não estão a ser utilizadas,
  4. Adapte a iluminação às suas necessidades e dê preferência à que é localizada – para além de poupar, conseguirá ambientes mais confortáveis;
  5. Nos halls, garagens ou zonas comuns, coloque sensores de presença/movimento para que as luzes se acendam e apaguem automaticamente;
  6. Na iluminação exterior, sempre que possível, opte pela iluminação solar.
Etiqueta Energética

As lâmpadas e luminárias vendidas com lâmpadas incorporadas, ou acompanhadas de lâmpadas, devem apresentar a etiqueta energética (Regulamento Delegado (UE) N.º 874/201).

Esta obrigatoriedade aplica-se às lâmpadas direcionais ou não, quer sejam de filamento, fluorescentes, de descarga de alta intensidade, LED (Light Emitting Diode: díodo emissor de luz) ou módulos LED.

Além da classe de eficiência energética (função da relação entre a potência da lâmpada e o seu fluxo luminoso útil), a etiqueta apresenta o consumo energético associado de 1000 horas de funcionamento, o que corresponde a 1 ano de funcionamento, considerando que está acesa durante cerca de 3h/dia.

Como ler a etiqueta energética:

lampada
  1. Nome do fornecedor ou marca comercial e modelo
  2. Modelo do fornecedor
  3. Classe de eficiência energética
  4. Consumo de energia ponderado em kWh por 1000 horas